Qual aquecimento de água escolher?

Estamos nessa jornada de sanar algumas dúvidas na hora de construir sua casa, ou definir detalhes da sua futura morada. Uma dúvida que costumeiramente surge, principalmente se você está construindo uma casa, é o tipo de aquecimento de água que deve se usar. E qual é o melhor aquecimento, a gás ou solar? Existem outras opções?

Bom, vamos tentar explicar rapidamente aqui, nesse post, começando pelos principais tipos, desde o mais tradicional até o mais complexo.

Aquecimento elétrico

O aquecimento de água elétrico mais convencional é o próprio chuveiro elétrico, que funciona de maneira simples, esquentando a água através de uma resistência. É de fácil manutenção, mas costuma precisar de uma instalação elétrica específica, devido à alta potência e consumo dele. Ele vai ser, possivelmente, o equipamento com maior consumo de energia da casa. A grande desvantagem é a falta de precisão em aquecer, no geral você regula a potência da resistência, e dependendo da pressão e velocidade da água, ela vem mais ou menos quente, por que fica em contato com a resistência por mais ou menos tempo. Às vezes, em invernos mais frios, a tendência é diminuir a pressão para ter uma água mais quente, aí fica só um fiozinho de água, perigando queimar o chuveiro.  

Outra opção de aquecimento elétrico é um boiler, um acumulador elétrico. Essa opção consiste em você ter um tanque de água quente, de 150 ou 300 litros, que fica na temperatura escolhida e as resistências dele mantém a água aquecida na temperatura desejada. Ele entrega o conforto de ter água quente na pressão e quantidade que você deseja. Apesar do boiler ser termicamente eficiente, com isolamento térmico, ele ainda tem um alto consumo de energia, pois você precisa manter aquecida na temperatura desejada toda aquela água, dia e noite.

Aquecimento a gás

O aquecimento a gás é clássico e muito utilizado em apartamentos de médio e alto padrão, além de residências, é claro. Consiste em ter um aquecedor de passagem, que tem esse nome pois a água passa dentro dele, onde uma chama a gás aquece a tubulação (serpentina), que por sua vez aquece a água. Seria como passar uma tubulação metálica por cima do fogão, e a chama aquecesse a tubulação, e por sua vez a água. Esse tipo de aquecimento permite entregar toda a água que passa pelo aquecedor na temperatura que você desejar, dando conforto ao banho. Os aquecedores modernos tem termostatos que medem a temperatura de saída da água. Isso garante que, independente da pressão, você tenha a água na temperatura desejada.

Aqui um vídeo elucidativo ode como funciona um aquecedor a gás de passagem

Vale lembrar que os aquecedores têm capacidade pré-determinadas, que é a litragem dele, ou seja, quantos litros ele aquece por minuto. E isso precisa ser compatível com o(s) chuveiro(s) que ele abastece. Um aquecedor de 20 litros, por exemplo, provavelmente só conseguirá abastecer um chuveiro, que geralmente exige de 11 a 15 litros. Então, se você planeja ter um aquecedor para mais de um banho simultâneo, precisará pegar um de maior capacidade, de 35 litros, por exemplo. 

A principal desvantagem é que precisamos ter toda uma rede de água quente, do aquecedor até o chuveiro ou torneira. E se essa distância for longa, perdemos muita água, que geralmente é fria, pois estava no cano parada, entre o aquecedor e o chuveiro ou torneira. Em tempos onde a água é cada vez mais preciosa, é algo a ser levado em conta!

Aquecimento Solar

É um dos sistemas que mais se expandiu em todo país. Não confunda esse sistema com as placas fotovoltaicas. Placas fotovoltaicas geram energia elétrica, que dão crédito na sua conta de energia. Esse sistema que estamos tratando aqui é o de aquecimento de água por placas solares. Basicamente as placas são formadas de tubos, geralmente pretos (para acumular calor do sol), por onde a água passa e aquece. Para não perder essa água quente, ela vai para um acumulador (tipo o do boiler elétrico), um reservatório de água quente, que é termicamente eficiente para não perder esse calor da água. Esse acumulador mantém seu estoque de água quente, pronto para uso. 

Tá, mas e quando não tem sol? Ai que mora o problema, com pouco sol, a água não chega na temperatura ideal, e por isso quase todos esses acumuladores possuem sistemas com resistência elétrica. É um sistema de aquecimento de água solar com complementação elétrica. Ou seja, em dias que a temperatura determinada não é atingida, o sistema elétrico entra. A consequência é que uma semana sem sol pode fazer com que você fique com seus 300 ou 500 litros sendo aquecidos por resistências elétricas, o que pode deixar a conta de energia bem salgada.

Apesar de antigo, o vídeo explica bem como funciona o Aquecimento solar

Aquecimento com Caldeira

Esse é o sistema mais elaborado, e funciona de maneira parecida com os outros sistemas. Existe um equipamento que aquece a água, que fica em reservatório termicamente eficiente. Só que aqui esse equipamento é uma caldeira, que pode ser movida a gás ou diesel. Geralmente, esse sistema, por ser relativamente caro, é utilizado para outras finalidade também, como aquecimento de piso da casa, toalheiros e calefatores. Já falamos sobre isso nesse post aqui, onde mostramos o sistema na casa GJAB. 

Esse sistema é o mais caro, mas é o mais completo. A caldeira em si tem necessidades específicas, ela precisa ficar fora de casa, em uma edificação específica, e com tanques de abastecimento, seja para gás ou diesel. 

E ai, qual é o melhor?

Na realidade não existe um melhor, sempre dependeremos do nível de manutenção, investimento e conforto que o cliente deseja. O nosso conselho é que o aquecimento a gás é o melhor custo benefício, pois custa somente o aquecedor e a tubulação de água quente. Aliás, todo sistema que passa por um aquecimento, deve ter uma tubulação que permita o trânsito dessa água aquecida da fonte aquecedora até a torneira ou chuveiro.

Um segundo conselho é que se for optar por um aquecimento elétrico, ou com complementação elétrica (solar, por exemplo), opte por colocar placas fotovoltaicas também, assim você compensa o alto consumo de energia quando o sol não aparece, pois terá créditos de energia acumulada dos dias de sol. 

Além disso, estude com seu arquiteto a solução que mais se encaixa no seu projeto. Existem, até mesmo, soluções mistas, onde o aquecimento solar é complementado por aquecedor de passagem à gás, ou pela caldeira, por exemplo. 

Dúvidas, só perguntar!

Escrito por

Gaúcho, Santa Mariense, Arquiteto e Urbanista que um dia foi anarquista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s