Vinicius e o Alargamento da Avenida Dores

Novamente estamos falando sobre a finalização do Residencial Vinícius de Moraes, mas agora vamos falar da obra viária que está acontecendo na calçada do empreendimento. Quem passou por ali nas últimas semanas, deve ter visto uma obra que parece alargar a pista da Avenida Nossa Senhora das Dores. Pois bem, não só parece, é isso mesmo que está acontecendo. Mas calma, vai ser só ali, e vai ser para melhorar o trânsito do local. 

Tudo isso é resultado do que começou quando o projeto, ainda na sua fase de aprovação,  foi enviado para o IPLAN (Instituto de Planejamento Urbano), depois de passar pelo Setor de Análise de Projetos do município de Santa Maria. Os projetos vão ao IPLAN sempre que podem causar um impacto no planejamento urbano da cidade. Assim, obras com mais de 10.000 m², ou outras obras que vão gerar/modificar tráfego, modificar uma região ou um bairro, são enviados para que o Instituto emita um parecer técnico sobre o impacto do projeto. Os principais exemplos desse tipo de encaminhamento são mercados, indústrias e demais equipamentos que podem mudar o trânsito, o uso do solo, e exigir até novas rotas de ônibus ou implementação de infraestrutura de esgoto ou água. Imagina o que muda na configuração de um bairro, um Shopping como o Praça Nova, por exemplo. 

O parecer vindo do IPLAN exigiu, dos incorporadores, um Estudo de Impacto de Vizinhança, um EIV, e a LP arquitetos (a gente) o elaborou. Todos os impactos foram analisados e estudados para serem mitigados e umas das principais preocupações do Instituto de Planejamento era o conflito entre o fluxo de acesso e saída de veículos do edifício e o alto fluxo de veículos na pequena rótula do Idealista. Tivemos algumas reuniões com a equipe do IPLAN e chegamos a uma solução para mitigar esse impacto e ao mesmo tempo contribuir para o fluxo local.  Foi proposto pela equipe técnica do IPLAN, junto com a equipe de trânsito do município, que o recuo viário do edifício fosse de fato ocupado pela via, como contrapartida do empreendimento.

Uma explicação rápida: recuos viários são recuos obrigatórios que alguns terrenos têm que obedecer, sempre de acordo com o gabarito projetado para a rua ou avenida no qual o mesmo está implantado. Dentro do Plano Diretor previu-se que a Avenida Dores e Av. Medianeira são fundamentais para o trânsito, e que por isso deveriam ter um gabarito maior do que o existente, para garantir o aumento de pistas no futuro, construção de ciclovias e/ou corredores de ônibus. Com isso, criou-se um gabarito que varia de 20 a 25 metros do eixo da avenida. A maioria dos terrenos nessas avenidas são antigos, mais antigo que a ideia da Avenida, com isso foram marcados quando a rua tinha talvez apenas alguns metros de largura. É natural que os terrenos antigos tenham esses recuos viários, mesmo em vias menores da cidade.

Voltando ao Residencial Vinicius de Moraes… no terreno, antes da obra, o meio fio estava a pouco mais de 11 metros do eixo da Avenida, e o novo meio fio exigido é a 16 metros, e a edificação nova poderia estar construída a 20 metros do eixo. Isso significava que tínhamos 9 metros de recuo viário. Ou seja, a calçada, mantendo o meio fio onde estava, ia ficar com 9 metros de largura. Vendo isso, e o problema do fluxo de veículos,  foi proposto pelo IPLAN e pela administração municipal que uma parte dessa calçada fosse agregado à via, fazendo com que, naquele trecho, a avenida fosse alargada para permitir uma pista de trânsito mais lento para quem entra e sai do prédio, e para quem vem da Avenida Oswaldo Cruz e quer adentrar à Avenida Dores, em direção ao centro. 

Agora que está sendo entregue o empreendimento, foi contratado uma empresa especializada para fazer essa obra viária, que consiste em uma pista nova e tachões entre esta e a pista existente, que vão guiar o trânsito e evitar trocas de pistas que causem acidentes. A calçada do Vinicius, mesmo assim, vai ser ampla, e vamos aproveitar o máximo para colocar vegetação e trazer o verde para aquele lado da Avenida também. No final do terreno, em direção ao norte (centro) teremos um casamento de calçadas, uma diagonal que levará o meio fio ao seu devido local. 

Esperamos que goste da obra e entenda o transtorno, vai ser melhor para todos. 

Escrito por

Gaúcho, Santa Mariense, Arquiteto e Urbanista que um dia foi anarquista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s