Receitas da 40tena – Guilherme

Na quarentena todo mundo cozinhou um pouco mais, e para conhecer mais a gente, alguns de nós vão passar sua receita preferida dessa quarentena. Muito do que gostamos e comemos, reflete nossa personalidade.

O arquiteto Guilherme Schneider é sócio fundador da LP arquitetos e adora carne, ainda mais de porco. Aqui vai a receita dele.

Porco, 2 vezes!

Um trunfo para mim nessa quarentena foi uma das carnes que eu mais curto fazer… Porco! Além de fazer matambrito na churrasqueira, resolvemos fazer outros cortes no forno, assado. E não é só isso, além de saborear o lombo ou o filezinho com batata doce ou batata inglesa temperada e assada, aproveitamos para desfiar o que sobra e refogar para fazer recheio de sanduíches, crepiocas e até escondidinhos! Então, na realidade são duas receitas:

A primeira precisa:

  • 1 pedaço de porco (Lombo, Pernil ou Filé);
  • 2 limões;
  • 1 cebola;
  • 4 dentes de alho;
  • alecrim;
  • sal e pimenta a gosto;
  • azeite de oliva.

Tempere o porco com limão, alecrim, sal e pimenta, e azeite de oliva, e deixe marinando por uns 30 minutos antes de levar ao forno. Sem essa de um dia antes, pois o gosto do limão vai ficar muito forte, e o ácido presente nas frutas pode desnaturar as proteínas da carne e deixar ela com uma textura esquisita. Descasque os dentes de alho e os corte ao meio (ou deixe inteiro, como preferir), junte ao porco e coloque ele assar na mesma travessa que você temperou, com o tempero mesmo, coberta com papel alumínio. Leve ao fogo a 200°C por uns 45 minutos.

Retire a travessa do forno e, com muito cuidado, remova o papel alumínio (vai sair um vapor danado dele!). Provavelmente a travessa estará com bastante líquido, daí você pode remover um pouco e reservar, utilizando para regar aos poucos, ao longo do processo. Esta é a hora de ele terminar de assar e dourar, por isso deixe no forno por mais 30 a 45 minutos sem o papel alumínio, virando o lado de vez em quando, e sempre cuidando para ele não secar muito (pode ir acrescentando água e um pouco do líquido reservado anteriormente).

Quando estiver quase pronto, retire do forno e junte uma cebola cortada em rodelas, para que ela pegue um pouco do molho e asse junto com o porco. Mais uns 15 minutos e está pronto.

Costumo assar ele em fogo mais baixo e por mais tempo pois a cocção lenta deixa ele mais fácil de desfiar e assado por completo.

A segunda receita na verdade é uma continuação da primeira. Aproveitamos o porco assado e desfiamos ele quente mesmo, com dois garfos, e guardamos com o que sobrou de molho e cebola em um pote. Quando for usar ele novamente, refogue com o que achar conveniente, geralmente usamos pimentões vermelhos e amarelos, cebola, alho e até um pouco de tomate italiano ou pelati, para fazer um pouco de molho.

Assim você tem mais trabalho em uma refeição, mas tem, além de um almoço (a carne assada), um refogado de primeira para sanduíches, tacos, crepiocas, para refeições rápidas.

Escrito por

Gaúcho, Santa Mariense, Arquiteto e Urbanista que um dia foi anarquista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s